Vôlei de Praia – História

O vôlei de praia nasceu nas praias de Santa Mônica, Califórnia como forma de lazer na década de 1920. O primeiro torneio oficial aconteceu em 1947 em State Beach, também na Califórnia.

Na década de 1960, o vôlei de praia já estava incorporado ao estilo de vida dos californianos e era uma verdadeira febre naquele local, mas somente ganhou notoriedade nacional, quando os Beatles e Merilyn Monroe mostraram interesse pelo esporte.

O primeiro torneio com patrocinadores e premiação (U$ 1.500) foi realizado em San Diego em 1974. Em 1980, aconteceu o primeiro circuito nacional de vôlei de praia nos Estados Unidos com 7 etapas e premiação de U$ 52.000.

Mas o vôlei de praia tornou-se conhecido mundialmente apenas quando o Brasil entrou em cena durante a década de 1980.

No Brasil, o esporte chegou ao Brasil na década de 1930, e foi ganhando adeptos em toda a orla marítima brasileira, sendo o Rio de Janeiro, a cidade em que o esporte era mais popular.

Os primeiros torneios com cobertura jornalística no mundo aconteceram nas areias de Copacabana e Ipanema a partir de 1950.

Em 1986, mais de 5.000 espectadores acompanharam, no Rio de Janeiro, o primeiro torneio exibição internacional da modalidade, reunindo astros brasileiros e estadunidenses. Participaram Renan, Badalhoca, Montanaro, William, Jaqueline, Isabel, Vera Mossa, Regina Uchoa, Pat Powers e Sinjin Smith.

A Federação Internacional de Vôlei – FIVB – percebendo a força do esporte e o crescente interesse do público e da mídia, colocou sua chancela sobre a modalidade, ficando assim, responsável pelo vôlei e pelo vôlei de praia em todo o mundo.

Aconteceu em Ipanema, 1987, o primeiro campeonato mundial, vencido por Sinjin Smith e Randy Stoklos (EUA), a dupla brasileira Renan e Montanaro terminou em terceiro lugar.

Devido ao grande sucesso que vinha fazendo, a FIVB instituiu em 1990, o World Circuit Series, o Circuito Mundial Masculino de Vôlei de Praia. As mulheres também começaram a ganhar seu espaço e, em 1994, foi criado o Circuito Mundial Feminino de Vôlei de Praia.

O vôlei de praia teve um crescimento muito rápido e, já no ano de 1994, ganhou o aval do Comitê Olímpico Internacional e teve sua primeira aparição oficial nos Jogos Olímpicos em Atlanta 1996. Em 1992, havia sido modalidade de exibição.

As duplas brasileiras dominaram totalmente o torneio feminino nas Olimpíadas de Atlanta, ficando Jaqueline e Sandra Pires com a medalha de ouro e Mônica e Adriana Samuel com a de prata. Quatro anos mais tarde, em Sydney, o Brasil conquistou 3 das 4 medalhas possíveis, sendo que Zé Marco e Ricardo e Shelda e Adriana Behar ficaram com a prata e Adriana Samuel e Sandra Pires conquistaram o bronze.

O Brasil é o país mais respeitado no vôlei de praia internacional e possui o campeonato nacional mais forte do mundo, o Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia.

Vôlei de Praia – Regras Básicas

O objetivo do jogo é, através de no máximo 3 toques, passar a bola para o lado adversário por sobre a rede e fazê-la tocar no solo, conquistando o ponto.

Equipes – as equipes são formadas por 2 ou 4 atletas, dependendo da competição.

Quadra – no vôlei de praia, a quadra é 1m menor que no vôlei de quadra, tanto no comprimento quanto na largura. Ao invés de medir 18m x 9m, a quadra possui 16m x 8m.

Pontuação – cada partida é disputada em melhor de 3 sets, sendo vencedor da partida a equipe que ganhar 2 sets. Os 2 primeiros sets terminam em 21 pontos, desde que, haja uma diferença mínima de 2 pontos. Se necessário, o terceiro set (tie-break) é disputado em 15 pontos, também com diferença de 2. Ao contrário do vôlei de quadra, são permitidas invasões de quadra, desde que não atrapalhem o oponente. Outras adaptações dizem respeito à “deixada”, que não pode ser executada com a ponta dos dedos, e sim, com a palma da mão e à “bola de segunda”, que não pode ser feita com o jogador de costas para a rede, como ocorre no voleibol de quadra.

Bola – a bola possui as mesmas medidas da bola do vôlei de quadra, porém é impermeável e de cores brilhantes (amarelo, laranja, rosa, branco, etc).
Circunferência: 65-67cm
Massa: 260-280g

Árbitros – em uma partida oficial são utilizados 6 árbitros, dispostos da seguinte maneira:

1º árbitro, que é o juiz principal, fica em cima de um suporte próprio ao lado da rede.

2º árbitro, fica no chão ao lado da rede e tem a função de assinalar toques na rede e auxiliar o árbitro principal quando necessário.

4 juízes de linha, sendo 2 de cada lado da quadra responsáveis pela marcação de bolas fora, faltas durante o serviço e de bolas que passam por fora da antena.

Além dos árbitros, existe também um anotador que fica numa mesa atrás do 2º árbitro, e é responsável pelo preenchimento da súmula e todas as anotações referentes ao jogo.

FONTES:
CBV (Confederação Brasileira de Voleibol)
BVD (Beach Volleyball Database)
FIVB (Fédération Internationale de Volleyball)