Basquete - História

O basquete foi inventado em 1891 para suprir uma necessidade da Associação Cristã de Moços de desenvolver um esporte que fugisse do frio da cidade de Springfield, Massachusetts. James Naismith, canadense que era treinador na ACM (em inglês, YMCA) foi incumbido pela Diretoria Técnica de criar um esporte em recinto fechado que movimentasse um certo número de alunos e, assim, quebrasse a monotonia de seguidas aulas de ginástica no período de neve.

Um jogo que movimentasse muitas pessoas exigia uma bola relativamente grande (aboliu também a uso de raquetes) e deveria haver uma meta com certa dificuldade a ser alcançada. No início, as "metas" propostas por Naismith eram caixas de madeira colocadas no chão, mas assim facilitava muito a defesa dessas "metas". Então, Naismith resolveu suspende-las para que o jogo ganhasse dificuldade, tanto para a defesa quanto para o ataque.

No início as equipes eram formadas por nove jogadores de cada lado, pois o intuito era movimentar o máximo de alunos possíveis, de acordo com o numero de pessoas e do tamanho da quadra. Nesse momento já era proibido andar sem bater a bola e puxões e empurrões (a cada três faltas era acrescida uma cesta ao adversário). Naismith também já falava em alas, guardas e pivôs. Assim nasceu um esporte que rapidamente conquistou o mundo.

Aproximadamente em 1895, surgiram as tabelas localizadas atrás das cestas. Logo depois aconteceu a regulamentação das medidas da quadra e das cestas, além de outras regras que, até hoje, sempre são revisadas para manter o dinamismo do jogo, como o tempo para a posse de bola, a proibição de retornar com a bola ao campo de defesa.

No Brasil Augusto Shaw, missionário norte-americano, foi convidado a lecionar no tradicional Mackenzie College de São Paulo. Trouxe o esporte criado por Naismith na bagagem, juntamente com seus livros. Depois de proposto e aceito pela Diretoria, o esporte foi muito bem aceito pelas mulheres, dificultando a introdução do esporte junto aos homens devido ao grande machismo da época, além do futebol trazido por Charles Miller, que era a coqueluche dos homens e causava uma certa concorrência.

Depois de muito convencer seus alunos e provar que o basquete não era um esporte feminino, Shaw formou a primeira equipe de basquete do Brasil no Mackenzie.

O esporte começou a se espalhar pelo Brasil com os professores Oscar Thompsom, da Escola Nacional de São Paulo e Henry Sims, da ACM do Rio de Janeiro. Os times do Mackenzie e da ACM foram os protagonistas das primeiras partidas realizadas no país. Muitos desses jogos eram realizados na quadra da ACM, na rua Quitanda, Rio de Janeiro (local da primeira partida no Brasil).

O primeiro clube a adotar o basquete como uma de suas modalidades foi o América Futebol Clube (RJ). Após Sims convencer os dirigentes do América a implantar o esporte no clube, outros clubes do Rio de Janeiro e de São Paulo também o fizeram. Naturalmente começaram a aparecer as Ligas Metropolitanas e, assim, houve a proliferação dessa modalidade pelo país.

Em 1933 houve uma cisão no esporte nacional com a profissionalização do futebol. Foram criadas entidades especificas para cuidar dos respectivos esportes. Nasceu então, a Federação Brasileira de Basketball que, tornou-se a atual Confederação Brasileira de Basketball, em 1941.
Basquete - Regras Básicas

O jogo envolve duas equipes que têm por objetivo arremessar a bola diretamente à cesta do seu oponente. Os jogadores podem utilizar somente as mãos para o domínio da bola e não podem se locomover na quadra segurando a bola, somente batendo ela no chão.

Equipes – são cinco jogadores em quadra e sete reservas.Um time de basquete básico conta com um pivô, um ala-pivô, um ala, um ala-armador e um armador. Todos os jogadores atacam e defendem, cada qual com uma estratégia tática de acordo com a posição.

Tempo – nas regras da FIBA, são quatro tempos de 10 minutos, com 5 minutos de intervalo entre o 1° e o 2° e entre o 3° e 4° quarto; entre o 2° e o 3° quarto há um intervalo de 15 minutos. O tempo de posse de bola é de 30 segundos. De acordo com as regras específicas da NBA, o jogo acontece durante quatro tempos de 12 minutos e a posse de bola é de 24 segundos.

Quadra – de acordo com as regras da FIBA, as medidas da quadra são de 28m de comprimento por 15 de largura; a linha dos três pontos fica a 6,25m da cesta. Na NBA, a quadra mede 28,65m de comprimento por 15,24m de largura; a linha dos três pontos se localiza a 6,71m da cesta. As medidas da tabela são 1,80m de largura por 1,20m, onde cesta se localiza a 3,05m de altura (a mesma para as duas organizações).

Pontuação - existem arremessos de dois pontos e três pontos, quando a bola é arremessada depois da chamada linha dos três pontos, além dos lances livres que valem 1 ponto. O time que detém a posse de bola deve arremessá-la em no Maximo 24 segundos.

Bola - é feita de borracha ou couro macio (dependendo do tipo de quadra – a oficial é de couro).
Circunferência: entre 74,9cm e 78cm.
Massa: entre 567g e 650g.

Árbitros – são dois árbitros em quadra correndo paralelamente em cada lateral, onde um é o principal e o outro auxilia, por exemplo, em jogadas fora do lance da bola.

Salto de início - a bola é alçada ao ar, perpendicular ao chão. Dois jogadores ficam posicionados abaixo da bola no momento em que esta é lançada e saltam com intuito de toca-la a um companheiro para começar o jogo com a posse da bola.

Passe de peito – é utilizado quando não há nenhum oponente entre o jogador com a posse da bola e o companheiro. A bola é lançada com as duas mãos na altura do peito do lançador o do receptor do passe.

Passe picado – é utilizado quando existe marcação em cima do passador. A bola é passada com as duas mãos e um pingo na quadra para o receptor que dará seqüência ao lance.

Passe ofensivo – é utilizado muito em jogadas rápidas de ataque. A bola é passada rapidamente com uma das mãos diretamente ao receptor do passe.

Arremesso - jogada de ataque mais comum, pois dá a oportunidade do jogador conseguir uma cesta de dois ou três pontos. Uma mão é utilizada para lançar a bola à cesta, a outra direciona a bola ao alvo.

Bandeja – jogada de ataque mais radical, onde o jogador utiliza os dois passos de direito ou salta diretamente à cesta e joga o bola diretamente ao alvo, sem arremessos.

Enterrada – o jogador salta e força ou tenta forçar a bola para dentro da cesta com uma ou com ambas as mãos, desta maneira evita que algum oponente tente parar a bola.

Voltar quadra – acontece quando o jogador de posse da bola retorna ao campo defensivo.

Rebote – existem dois tipos de rebote: ofensivo e defensivo. Ofensivo quando o jogador se posiciona em baixo da cesta para conseguir a posse de bola e prosseguir com o ataque. Defensivo quando o jogador defensor apanha a bola e com essa posse liga o contra-ataque.

Bloqueio – é quando o jogador defensor impede o ataque adversário com a mão diretamente na bola, bloqueando o ataque adversário. É também chamado "toco".

Juízes
Em uma partida oficial são utilizados 2 árbitros (na NBA são três), dispostos da seguinte maneira:
1° árbitro, que é o juiz principal, corre toda a quadra;
2° árbitro, corre paralelamente ao árbitro principal
auxiliando-o ou marcando lances não observados pelo principal;

O basquete é um dos mais difíceis jogos de ser arbitrado, pois envolve muito dinamismo e requer extrema atenção dos árbitros, os quais tomam decisões em frações de segundo, parando o jogo em alguma falta ou em deixar o jogo correr sem atrapalhar seu andamento.

FONTES:
CBB (Confederação Brasileira de Basquete)
FIBA (Fédération Internationale de Basketball)